geekices

As minhas 3 alternativas ao (praticamente) defunto Google Reader

O Google Reader vai encerrar já amanhã. Gatinhos vão morrer. Mas, bem… Já há várias alternativas e ainda mais informação sobre elas na Web. São poucos os blogs mais ligados à tecnologia que ainda não abordaram o assunto e não publicaram até agora uma lista de alternativas. Este era uma exceção, até agora…

De tudo o que vi e experimentei até agora, recomendo o Tiny Tiny RSS. Os seus maiores argumentos são ser software livre e self-hosted, o que significa que eu só necessito de algum computador para o alojar e aceder a ele. Também, à semelhança do Google Reader, existem aplicações para Android e é suportado por alguns leitores de feeds para desktop.

Outro de que gostei, acima de tudo pelo interface, foi o g2reader.com. O aspeto é semelhante ao do Google Reader, e até as teclas de atalho são suportadas, mas é mais bem cuidado e agradável. Só é pena que não tenha aplicação para Android, mas parece que poderão disponibilizar uma dentro de algum tempo.

Por último, o FeedHQ. É software livre, tal como o Tiny Tiny RSS, mas tem a possibilidade de ser alojada pelos utilizadores ou de ser criada conta no site do projeto. O foco de desenvolvimento desta aplicação é o conteúdo das subscrições. É ótimo ler as feeds com este leitor; a legibilidade é muito boa. Tenho mesmo pena de não o conseguir pôr a funcionar com o meu hosting provider, a Webtuga. Talvez o meu plano não inclua suporte para Python, a linguagem de programação em que o FeedHQ é desenvolvido. Confesso que ainda não confirmei.

Existem muitas mais alternativas. O Digg já lançou o seu próprio leitor de feeds, existe o The Old Reader para quem gostava mais do Google Reader antes da última mudança que sofreu, o Feedly para os que preferem um layout mais ao jeito de uma revista online, etc.

Escolham o substituto do Google Reader que preferirem. Só vos alerto para as opções que vocês próprios podem alojar e são software livre. Elas são preferíveis, porque assim evitam que vos aconteça novamente o que vos levou a mudar o leitor de feeds da Google.

Standard
geekices

Como integrar o Tarpipe com o Google Reader

Embora o Google Reader tenha perdido uma das suas funcionalidades sociais, os itens partilhados, continua a ser possível partilhar conteúdos em várias redes sociais em simultâneo e de forma simples. Para tal, basta ter uma conta no Tarpipe.

Após a criação da conta no Tarpipe, entram no Google Reader e vão às configurações da aplicação. Depois, seleccionam o separador “Enviar para”/”Send To” e criam um link personalizado (a opção está no final da página) com o seguinte conteúdo:

Partilhar itens do Google Reader com o Tarpipe

Para que possam inserir os dados de forma simples, deixo os campos disponíveis para o sempre útil copy/paste.

Nome: Tarpipe
Url: http://tarpipe.com/share/bookmarklet/?b=${title} ${short-url}&u=${url}&t=${title}
URL do Ícone: http://tarpipe.com/favicon.ico

Assim que inserirem os dados, gravam. Depois, para partilharem um post em qualquer rede social, basta carregarem em “Enviar para”/”Send To” no final de cada item e escolherem o Tarpipe da lista de opções disponíveis.

Não se esqueçam que, para partilharem em qualquer rede social com o Tarpipe, é necessário configurarem a conta neste serviço e, claro, ela ser suportada.

O ideal é a subscrição de uma conta Pro ao usarem o Tarpipe. Assim, não estão sujeitos ao limite máximo de 100 pedidos (partilhas) mensais, com um máximo de dois destinos em cada. Como o plano Pro custa apenas €4.90 por mês e dois meses são gratuitos, o valor não é assim tão elevado que o possam descartar.

O Tarpipe é um serviço web português criado pelo Bruno Pedro e o Vitor Rodrigues, com bastante notoriedade internacional e que permite a partilha fácil e rápida de conteúdo através de diversas redes sociais.

Standard
geekices

O que muda no novo Google Reader

O Reader é o último produto do Google a sofrer alterações a nível estético e até funcional, para ficar de acordo com a linha criada com o lançamento do Google+.

A grande novidade do “novo” Google Reader é a integração com o Google+. Ao invés do utilizador partilhar um item como fazia anteriormente, agora tem a opção +1. Lamentavelmente, esta partilha é sempre pública.

Também, será possível partilhar feeds com círculos específicos. Embora esta funcionalidade ainda não esteja disponível, o Google garantiu, no blog oficial do Reader, que isso acontecerá a curto prazo.

Como nem tudo são adições, os itens partilhados pelo utilizador e pelos seus contactos desaparecem. Se, como eu, tinham a feed dos vossos itens partilhados a publicar as entradas nalgum blog ou rede social, esta vai deixar de estar disponível. A alternativa é usar a opção “share” e escolherem manualmente (e uma de cada vez) a rede social onde pretende partilhar a entrada. No entanto, se tiverem que fazer isso com mais do que uma, depressa se fartarão.

Standard